Lançamento do livro “O Verme de Deus”, de Ricardo Tavares

No próximo dia 29 de Novembro, sexta-feira, pelas 18:00 horas, no Teatro Micaelense — Centro Cultural e de Congressos, em Ponta Delgada, será lançada a obra “O Verme de Deus”, da autoria do sacerdote, biblista e professor açoriano Ricardo Tavares. O livro será apresentado pela docente Ana Gil, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade dos Açores, e pela poeta luso-brasileira Eleonora Marino Duarte.

Trata-se de um conjunto de 95 ensaios sobre o ser humano, com toda a sua miséria e dignidade, na perspectiva da humanidade de Jesus, Deus que Se fez homem e assumiu a natureza humana até ao extremo da Cruz, da dor e do abandono, causados pela injustiça e pela maldade. Porque é Deus e porque Deus é amor, não elimina mas transforma a vermidade humana em húmus, fertilidade para uma Nova Criação. N’Ele toda a fragilidade — todo o pecado — se converte em vida, graça, felicidade. Nesta terra batida que somos, Ele abre túneis arejados e férteis, de onde brota plantas de nova vida; as montanhas gigantescas de obstáculos dilemas que nos bloqueiam Ele tritura e pulveriza num silêncio eficaz.
A Criação já continha essa capacidade de metamorfose do mal em bem, ainda que limitada pela queda original, mas foi na Paixão, na Morte e na Ressurreição de Jesus Cristo que o Criador dotou o Universo de uma nova potência: a alquimia do amor humanizante, que converte o “Eis o Verme!” no “Eis o Homem!”
Todo o texto é perpassado por uma nova forma de fazer “cristologia”, ciência sobre Cristo enquanto Filho de Deus, encarnado: trata-se de uma “cristopoética”, neologismo que configura uma abordagem exaustivamente metafórica e a preferência pela estética, tanto na beleza como na fealdade, enquanto sensibilidade que toca o ser humano na sua globalidade, mente e coração, alma e carne.
Numa linguagem actual, de leve cunho açoriano, esta série reflexões espelha a existência humana no hoje da história, com todos os seus êxitos e dramas, focando as situações em que o ser humano, prolongando o sofrimento da Cruz, se sente verme ou trata o seu próximo como verme. É aqui que Deus intervém, transmutando desumanidade em vida plena.
A obra reedita o modo como é exposto o mistério da Criação, do Corpo, da Encarnação no seio da Virgem Maria, da Redenção na Cruz, da Eucaristia, do Amor. Propõe uma nova aproximação: efectiva e afectiva, antiga e nova. É um livro de mística moderna, enraizada na Sagrada Escritura, na Tradição, no Magistério e nos Sinais dos Tempos da cultura contemporânea. Nele, antropologia, filosofia, teologia, filologia e arte se entrelaçam harmoniosamente.

O Cristo da capa foi o último desenho do arquitecto e artista plástico português Luís Cunha (Porto, 1933 – Lisboa, 2019), autor de vários projectos de edifícios privados, públicos e religiosos, como o Auditório no antigo Convento da Graça em Ponta Delgada.

Segundo a poeta luso-brasileira Eleonora Marino Duarte, “a partir de uma metáfora evocando um dos seres vivos mais repugnantes — o verme —, sem remorsos, vergonhas ou preconceitos, Ricardo Tavares nos oferece, em linguagem poética e filosófica, o desafio de suas considerações pessoais sobre o cristianismo, a religiosidade e a vida, usando como figura central para a narrativa o ícone máximo da religião cristã: Jesus, o Filho de Deus.
“Homem, poeta e sacerdote, o autor estimula-nos a entrar nas questões mais obscuras do anseio humano por respostas divinas, para encontrarmos, inevitavelmente, a luz, uma luz vertiginosa e ofuscante trazida pela sua escrita decisiva e direta. O pensamento crítico é a chave oferecida pelo autor para nos ajudar a redescobrir a ligação com o divino, a vida, a morte e a ressurreição.
“O verme — infame, repulsivo, íntegro, belo e absoluto em manifestação de vida — aparece para nos revelar que Deus está em tudo, em todos e nele mesmo, a mostrar-Se em cada ser individualmente para sinalizar através da matéria o “Ver-me” essencial!”

BIOGRAFIA DO AUTOR
Natural de Vila Franca do Campo (Portugal), Ricardo Tavares é sacerdote católico da Diocese dos Açores. Completou licenciaturas em Engenharia Electrotécnica e de Computadores (Porto), e em Teologia (Porto), pós-graduações em Arte e Educação (Lisboa), Arqueologia e Hieróglifos Egípcios (Jerusalém), e Filologia Antiga — Hebraico, Aramaico, Grego, Latim e Siríaco (Frankfurt). Como bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, adquiriu o doutoramento em Exegese Bíblica, na especialidade de Egiptologia (Frankfurt). Foi professor de Teologia, Exegese e Filologia Bíblica na Universidade Católica Portuguesa. Actualmente exerce actividade nos Açores como professor de Educação Moral e Religiosa Católica, pároco dos Fenais da Luz, director diocesano da Pastoral da Cultura e delegado diocesano para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso. É ainda mestre de Karaté Shotokan (3.º Dan) pela Federação Alemã de Karaté. Fez a primeira tradução da língua alemã para a língua portuguesa do primeiro catecismo da Igreja Católica para jovens, o Youcat, encomendado pelo Papa Bento XVI. Publicou dois apólogos poéticos — As Gotas (Angra do Heroísmo, 1996) e O Mistério do Folião (Vila Franca do Campo, 2005) — e a sua tese de doutoramento — Eine königliche Weisheitslehre? [Uma instrução sapiencial?] (Fribourg, 2008).

Data

Nov 29 2019
Expired!

Tempo

06:00 - 19:30

Localização

Teatro Micaelense