grotta – arquipélago de escritores #4 -EBOOK

10.00

grotta – arquipélago de escritores #4

«A grotta – arquipélago de escritores 4» contém destaques vários, como a vida e obra de J. H. Santos Barros, que acreditava na possibilidade de unir numa só frente uma postura de vanguarda ideológica, militante, com a ideia libertária de uma cultura em duplo: popular e de grupo. Com outros intelectuais angrenses, fundou a galeria de artes plásticas «Degrau»; animou cooperativas, sindicatos, rádios e jornais; fundou e dirigiu o suplemento «Cartaz» e a revista «A Memória da Água-Viva». Mas foi no suplemento «Contexto», do jornal Açores que mais e melhor sistematizou todo um trabalho de animação e coordenação que se estenderia à crítica, à polémica literária, à ensaística de fundo e até a uma curiosa experiência heteronímica que o levaria a subscrever, com diversos nomes, posições e conceitos propositada e provocatoriamente contraditórios. Foi assim, por exemplo, em relação à controversa questão da existência (ou não) de uma «literatura açoriana», que muito interessou os escritores açorianos da sua geração.

É de destaque também a poesia de vanguarda de Lucebert e a de Armando Emmanuel.
A entrevista deste número é ao crítico literário Vamberto Freitas, e haverá um suplemento especial sobre o historiador norte-americano William Hickling Prescott, que permaneceu em Ponta Delgada durante 1815-1816, cidade onde vivia o seu avô materno (o cônsul Thomas Hickling), enquanto se tentava recuperar dos seus problemas oftálmicos.
Mais livros Letras Lavadas

Nuno Costa Santos (direção) e Diogo Ourique (coordenação editorial)

Em stock

Descrição

grotta – arquipélago de escritores #4

«A grotta – arquipélago de escritores 4» contém destaques vários, como a vida e obra de J. H. Santos Barros, que acreditava na possibilidade de unir numa só frente uma postura de vanguarda ideológica, militante, com a ideia libertária de uma cultura em duplo: popular e de grupo. Com outros intelectuais angrenses, fundou a galeria de artes plásticas «Degrau»; animou cooperativas, sindicatos, rádios e jornais; fundou e dirigiu o suplemento «Cartaz» e a revista «A Memória da Água-Viva». Mas foi no suplemento «Contexto», do jornal Açores que mais e melhor sistematizou todo um trabalho de animação e coordenação que se estenderia à crítica, à polémica literária, à ensaística de fundo e até a uma curiosa experiência heteronímica que o levaria a subscrever, com diversos nomes, posições e conceitos propositada e provocatoriamente contraditórios. Foi assim, por exemplo, em relação à controversa questão da existência (ou não) de uma «literatura açoriana», que muito interessou os escritores açorianos da sua geração.

É de destaque também a poesia de vanguarda de Lucebert e a de Armando Emmanuel.
A entrevista deste número é ao crítico literário Vamberto Freitas, e haverá um suplemento especial sobre o historiador norte-americano William Hickling Prescott, que permaneceu em Ponta Delgada durante 1815-1816, cidade onde vivia o seu avô materno (o cônsul Thomas Hickling), enquanto se tentava recuperar dos seus problemas oftálmicos.
Mais livros Letras Lavadas

Nuno Costa Santos (direção) e Diogo Ourique (coordenação editorial)

Informação adicional

Peso 0.379 kg
Dimensões (C x L x A) 21.8 × 15.5 × 1 cm
ISBN

977-218-416-600-1

Edição

01 -ABR – 2020

Idioma

Português

N.º Páginas

208

Encadernação

Capa Mole

Editora

Letras Lavadas

Também pode gostar…