Vinte e Sete Cartas de Artemísia

16,00 

A escrita de Henrique Levy, poderosa, em densidade e originalidade, revela, finalmente, uma voz consanguínea de Natália Correia. Não só pelo húmus açoriano que a percorre sem que se perca a ligação comunicante com o sentir e viver nacionais, como também pelo apelo universal de liberdade, corre, quente e frondoso, nas suas páginas desabrigadas, um espírito revolucionário,
indomável, feito de coragem e de amor.

Nota do Júri do Prémio
Literário Natália Correia, 2022

Autor: Henrique Levy

 

Em stock

DETALHES DO PRODUTO

Informação adicional

Dimensões (C x L x A) 20 × 14 × 2 cm
ISBN

978-989-735-491-5

Edição

2023

Idioma

Português

N.º Páginas

191

Encadernação

Capa Mole

Editora

Letras Lavadas

SOBRE O AUTOR

Henrique Levy

Henrique Levy, poeta e romancista, é portador de uma identidade com várias pertenças. Cidadão português, nascido em Lisboa, com nacionalidade cabo-verdiana. Viveu em diversos países da Europa, Ásia, África e América. Reside, por opção, na ilha de São Miguel.
É autor de sete romances: Cisne de África (2009); Praia Lisboa (2010); Maria Bettencourt Diários de Uma Mulher Singular (2019); Segredo da Visita Régia aos Açores (2020); Memórias de Madre Aliviada da Cruz (2021); Vinte e Sete Cartas de Artemísia (2022) romance distinguido com o Prémio Natália Correia; Bento de Goes – uma longa caminhada na Ásia Central (2023).
É autor de oito livros de poesia, Mãos Navegadas (1999); Intensidades (2001); O silêncio das Almas (2015); Noivos do Mar (2017); O Rapaz do Lilás (2018); Sensinatos (2019).
Editou, em co-autoria com Ângela de Almeida, o livro de poemas, Estado de Emergência. (2020); Poemas do Próximo Livro (2022); Livro da Vacidade e da Demanda do Vento (2023).
Editou e anotou A Sibylla – Versos Philosophicos (2020) de Marianna Belmira de Andrade, cuja primeira edição data de 1884. É coordenador da Nona Poesia, única editora açoriana dedicada
exclusivamente à poesia.

 

Também pode gostar

Outras Sugestões