A Janela de Matisse

16,00 

A Janela de Matisse

 

A poesia açoriana possui uma universalidade notável que transcende os limites do arquipélago, atingindo públicos de todo o mundo. Apesar de estarem enraizados na paisagem cultural e geográfica distinta dos Açores, os temas explorados na poesia açoriana – como o amor, a perda, a saudade e a condição humana – são inerentemente universais. É o caso da poesia de Ângela Almeida, cujas obras eloquentes exploram emoções e experiências que podem ser compreendidas por pessoas de diversas origens e culturas.

O apelo universal da linguagem poética de Angela Almeida reside na sua capacidade de evocar um sentimento de humanidade partilhada. Quer expresse a dor da separação dos entes queridos, a alegria do reencontro ou a admiração inspirada pela majestade da natureza, a sua poesia capta emoções e experiências que transcendem as fronteiras geográficas.

Diniz Borges

 

foi o último mar
toda a extensão dos olhos rompendo
a pele do mundo

toda a circunstância da viagem rasgando
a solidão do verso

toda a comoção da sede no banquete
das aves solfejando o espanto
do êxodo

————–

Autora: Ângela de Almeida

Mais livros Letras Lavadas

 

 

Em stock

Partilhe nas suas redes:

DETALHES DO PRODUTO

Informação adicional

Dimensões (C x L x A) 20,5 × 14,5 × 1,3 cm
ISBN

978-989-735-507-3

Edição

Fevereiro de 2024

Idioma

Português

Encadernação

Capa dura

Editora

N9na Poesia

SOBRE O AUTOR

Ângela de Almeida

 

Ângela de Almeida (Horta, Açores, 6 de Agosto de 1959) é uma escritora e investigadora científica portuguesa.

Doutora em Literatura Portuguesa, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, defendeu uma tese sobre a simbólica da ilha e do Pentecostalismo na obra literária de Natália Correia, tendo sido seu orientador, Urbano Tavares Rodrigues.
Com 12 livros publicados, destacam-se a obra poética e os ensaios. É uma escritora ecuménica, desenvolvendo o seu trabalho científico em torno da simbólica dos direitos humanos nas literaturas e culturas de expressão portuguesa.
Poeta de referência na literatura portuguesa actual, David Mourão-Ferreira referiu-se ao seu livro, O Baile das Luas, como uma pequena obra-prima.

Foi professora assistente-convidada de Literatura e Cultura Norte-Americana, na Universidade dos Açores (1979 a 1981, 1986/1987 e 1990/1991).

Foi, igualmente, assessora para a Cultura na Câmara Municipal de Ponta Delgada (1987-1988 e 1990 a 1993).

Actualmente, é investigadora integrada do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias, pertencente à Universidade de Lisboa.

 

Também pode gostar

Adicione aqui o texto do seu título

Outras Sugestões