Azorean Suite: A poem of the moment / Suite Açoriana: Um poema do momento

14.00

Azorean Suite: A poem of the moment / Suite Açoriana: Um poema do momento

«Pode-se nascer numa ilha de duas maneiras», escreveu o poeta e romancista Eduardo Bettencourt Pinto. «Do corpo duma mulher ou pelo fulgor da sensibilidade». Neste poema de comprimento de livro, Azorean Suite/Suite açoriana, o premiado poeta Scott Edward Anderson explora a natureza do que é nascer do esplendor da sensibilidade das suas ilhas ancestrais. Usando elementos autobiográficos bem como citações de poetas, cientistas e naturalistas açorianos, Anderson estende os limites da história pessoal e expande a viagem emocional do poeta.
Como Anderson escreve na sua introdução, «Francamente, a jornada emocional deste poeta tornou-se a de um caso de amor entre os Açores e eu, e este trabalho serve apenas como um pedaço dessa história…». O poema aparece na sua totalidade aqui pela primeira vez, no seu original inglês e traduzido para português pelo autor e Eduardo Bettencourt Pinto, com José Francisco Costa. Azorean Suite/Suite açoriana também serve como homenagem aos poetas açorianos, emigrantes, e àqueles cujos laços diásporos e ancestrais os ligam às ilhas de forma apaixonada e tangível.

 

«Dicionários da Cantabrígia definiriam a palavra suite como uma peça de música composta por partes entre si relacionadas. Assim o é, aptamente, o poema épico e nostálgico de Scott Edward Anderson. Conseguimos sentir nostalgia pelo desconhecido ancestral? Conseguimos atravessar a corrente sanguínea submersa e o próprio oceano, e sentirmo-nos enraizados no passado de outros, dos outros que nos antecederam? São estes os temas e as partes que compõem a peça musical de Anderson. Estas são as barras e as anotações que guiam a navegação do poeta na viagem que é a sua Suite açoriana.» ~João Pedro Porto

«A epopeia é o poema do regresso, uma história dos antepassados e, acima de tudo, a saudade de uma terra – uma ilha – onde o poeta sabe que algo o espera. Ao ler a Suite açoriana todas estas peças se juntam, como num puzzle, e assistimos ao desenrolar desse combate pela memória que traz de volta os nomes familiares, os cenários outrora perdidos, as viagens que conduziram ao exílio heróis anónimos a que Scott Edward Anderson restitui os nomes e a aventura interminável de uma emigração cruzada com o exílio. Neste belo poema, a epopeia está nesse combate contra o esquecimento e na reconciliação de um distante herdeiro com um passado que o poeta recupera, num tempo actual que traz novas e inesperadas ameaças à humanidade. A poesia é, talvez, a melhor forma de lutar contra essas ameaças, e este livro dá-nos uma celebração da vida em cada uma das suas páginas.»
~Nuno Júdice

 

“One can be born on an island in two ways,” wrote the poet and novelist Eduardo Bettencourt Pinto. “From the body of a woman or from the radiance of sensibility.” In this book-length poem, Azorean Suite/Suite açoriana, award-winning poet Scott Edward Anderson explores the nature of what it’s like to be born from that radiance of sensibility of his ancestral islands. Using autobiographical elements as well as quotations from Azorean poets, scientists, and naturalists, Anderson extends the limits of personal history and expands the poet’s emotional journey.

As Anderson writes in his introduction, “Frankly, this poet’s emotional journey has become that of a love affair between the Azores and me, and this work serves as just a piece of that story…” The poem appears in its entirety here for the first time, in its original English and translated into Portuguese by the author and Eduardo Bettencourt Pinto, with José Francisco Costa. Azorean Suite/Suite açoriana also serves as a tribute to Azorean poets, emigrants, and those whose diasporic and ancestral ties bind them to the islands in passionate and tangible ways.

 

“Cantabrigian dictionaries would begin to define the word suite as a piece of music that consists of a set of related parts. So is, quite aptly, Scott Edward Anderson’s epic and nostalgic poem. Can one feel nostalgia for the ancestral unknown? Can one cross both the blood in the underflow and the ocean itself, and feel rooted in the past of others, of the ones who came before? These are the themes and parts that compose Anderson’s musical piece. These are the bars and notes that navigate the poet in the voyage that is Azorean Suite.” ~ João Pedro Porto

“The epic is the poem of return, a story of ancestors and, above all, the longing for a land – an island – where the poet knows that something awaits him. Reading Azorean Suite, all these pieces come together, like a puzzle, and we watch this battle unfold for the memory that brings back the family names, the scenarios once lost, the journeys that led to the exile of anonymous heroes to whom Scott Edward Anderson returns their names, and the endless adventure of a cross-emigration with exile. In this beautiful poem, the epic is in that fight against forgetfulness and in the reconciliation of a distant heir with a past that the poet recovers, in a current time that brings new and unexpected threats to humanity. Poetry is perhaps the best way to fight these threats, and this book gives us a celebration of life on each of its pages.” ~Nuno Júdice

Autor: Scott Edward Anderson

Em stock

Descrição

Scott Edward Anderson is the author of Falling Up: A Memoir of Second Chances (2019), which recently received the 1st Literary Award of Letras Lavadas in conjunction with PEN Açores, the Nautilus Award-winning Dwelling: an ecopoem (2018), and Fallow Field: Poems (2013). His poetry has also received the Nebraska Review Award. In 2018, he participated in the Disquiet International Azores Residency on São Miguel Island, from which his great-grandparents emigrated in 1906. He is currently working on a research-driven memoir about his Azorean Portuguese heritage titled The Others in Me: A Journey to Discover Ancestry, Identity, and Lost Heritage. Born in Providence, Rhode Island, he now lives in Brooklyn, New York, and hopes to divide his time between New York and the Azores.

 

Scott Edward Anderson é o autor de Falling Up: A Memoir of Second Chances (2019), que recebeu recentemente o 1.º Prémio Literário Letras Lavadas em conjunto com a PEN Açores, Dwelling: an ecopoem (2018), vencedor do Prémio Nautilus, e Fallow Field: Poems (2013). A sua poesia também recebeu o Prémio de Revisão do Nebraska. Em 2018, participou na Residência dos Açores da Disquiet International na Ilha de São Miguel, da qual os seus bisavós emigraram em 1906. Atualmente está a trabalhar num livro de memórias sobre a sua herança açoriana portuguesa intitulada Os outros em mim: uma jornada para descobrir ascendência, identidade e herança perdida. Nascido em Providence, Rhode Island, vive agora em Brooklyn, Nova York, e espera dividir o seu tempo entre Nova Iorque e os Açores.

Mais livros Letras Lavadas

 

Informação adicional

ISBN

978-989-735-291-1

Idioma

Português / Inglês

Encadernação

Capa mole

Editora

Letras Lavadas