Olá, Ordem dos Biólogos, já estamos na Primavera, e não são só as flores que desabrocham. Esta também chegou à Letras Lavadas, fazendo florescer uma diversidade generosa de livros. Como novidades temos, "Conversas da Diáspora - 50 Açorianos pelo Mundo", coordenado por José Andrade, que consiste em entrevistas a 50 açorianos emigrantes de sucesso; "Jénifer, or a French Princess: The (Truly) Unknown Islands", de Joel Neto; que se trata da tradução para inglês do livro "Jénifer, ou a Princesa de França: As Ilhas (Realmente) Desconhecidas", que aborda o fenómeno da pobreza nos Açores; e dois livros de poesia de Ângela de Almeida, "Calligraphy of the Birds", tradução para Inglês do livro "Caligrafia dos Pássaros", bastante aclamado pela crítica especializada, e o seu mais recente livro "A Janela de Matisse", com edição N9na Poesia. E, por último, em jeito de comemoração do Dia Mundial da Saúde Oral, celebrado a 20 de Março, temos a colecção de "Godofredo", que consiste em dois livros, "Dentista não é coisa do outro mundo" e "O Troca-troca dos Dentes", que pretendem demonstrar às crianças a importância de cuidar dos seus dentes e que não devem temer os dentistas.

«José Almeida, como bom artista em todas as artes, desde a pintura até à escultura, humanas, tem o dom de observar com acutilância o ser humano e a faculdade de lhe “tirar o retrato” com facilidade, talento que passa para o papel com contornos originais e o seu traço característico. É por isso que ao longo dos últimos anos tem reunido caricaturas, feitas digitalmente, de familiares, de amigos e de inúmeras figuras públicas que vão dominando a atualidade.
José Carlos Almeida encontra nesta sua faceta a possibilidade de extravasar o seu ímpeto criativo, de forma menos angustiante e mais pragmática, dando expressão à sua cidadania e ao compromisso com a realidade política e social».

Paula Cabral, in Prefácio (adaptado)
Este é um Elogio à minha amiga Dóris e ao carinho que coloca em tudo o que escreve, unindo a saúde oral com a literatura, num mundo mágico de imaginação.
Este livro infantil é uma oportunidade incrível de incentivar a leitura desde cedo e, ao mesmo tempo, transmitir conhecimentos valiosos sobre a saúde oral. Com uma abordagem lúdica e cativante, as crianças serão encorajadas a desenvolver o hábito da leitura enquanto aprendem sobre a importância de cuidar dos dentes e manter uma higiene oral adequada. Com personagens envolventes e uma narrativa surpreendente, que prende, este livro educa e entretém ao mesmo tempo, criando uma experiência única e enriquecedora para os pequenos leitores. Não perca a oportunidade de proporcionar momentos mágicos para as crianças. Os pequenos adoram o conteúdo. Recomendo vivamente não apenas para as crianças, mas também para os pais, pois este conteúdo é altamente cativante, educativo e divertido. A natureza interativa do conteúdo mantém as crianças entretidas enquanto aprende coisas novas. Trata-se de um tesouro para cada pequeno!

David Casimiro de Andrade
Médico dentista Licenciado em medicina
Professor Associado com Agregação e Coordenador do Curso de Especialização em Odontopediatria da Faculdade de Medicina Dentária Universidade do Porto


Há autores que lemos como se identificássemos na sua escrita a voz, o jeito de dizer e até os gestos. Dóris Rocha Ruiz é assim: quando estou a ler este delicioso O Troca-Troca dos Dentes, vejo-a na minha frente, sorriso afável, o brilho no olhar a falar cheia de entusiasmo sobre um valioso projeto de educação e saúde. A tradição do dente de leite guardado sob o travesseiro
a espera da fada e seu duende, agora se veste de contemporaneidade e chega na pele da onipresente fada Joaquina e seu assistente Porcoleta apresentados com meiguice pela Doutora Dóris e pela sensibilidade da ilustradora Inês Quintanilha, num enredo educativo, divertido e sedutor que une a ficção e o mundo real, abraçando um tema de grande relevância.
Adorei passear pelo universo mágico da Fada Joaquina e Porcoleta, do Teodoro e Godofredo e muito aprendi. Mais do que um livro infantil, O Troca-Troca dos Dentes é uma fascinante conversa lúdica que nos remete, sobretudo, as bocas do mundo das nossas crianças sedentas para mais saber. Afinal, o dentinho de leite não se perde nos cofrinhos da memória, por milagre da ciência qual mago na urdidura da vida tecida renasce nos bancos de dentes de leite, ou em forma de célulastronco e quiçá nos sonhos das futuras gerações de cientistas.

Lélia Pereira da Silva Nunes,
Presidente da Academia Catarinense de Letras
The poetry from the Azores possesses a remarkable universality that transcends the confines of the archipelago, resonating with audiences worldwide. Despite being rooted in the Azores’ distinct cultural and geographical landscape, the themes explored in Azorean poetry—such as love, loss, longing, and the human condition—are inherently universal. Such is the poetry of Angela Almeida, whose eloquent works tap into emotions and experiences relatable to people from diverse backgrounds and cultures.
The universal appeal of Angela Almeida’s poetic language lies in its ability to evoke a sense of shared humanity. Whether expressing the ache of separation from loved ones, the joy of reunion, or the awe inspired by nature’s majesty, her poetry captures emotions and experiences that transcend geographical boundaries.
With her work now available in English, Angela Almeida’s poetry can serve as a bridge between cultures, fostering connections between the Azores and the broader world, reaching new audiences, and enriching the global literary landscape with her unique perspectives and voice – the shared human experience, making it universally relevant and compelling.
Jenifer is a child searching for a way out, and Joel is a man looking for a story. The two meet in a public housing project in the Azores, Portugal’s poorest region, a breeding ground for alcoholism and domestic violence, sexual abuse and incest, drug trafficking, school failure, and social exclusion, among many other signs of human underdevelopment. A question floats in the background: how can Jenifer transcend her parents’ gloomy condition? She has a plan.

A Janela de Matisse

foi o último mar
toda a extensão dos olhos rompendo
a pele do mundo

toda a circunstância da viagem rasgando
a solidão do verso

toda a comoção da sede no banquete
das aves solfejando o espanto
do êxodo
“Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo” reúne entrevistas com Al Pinheiro, Ana Lopes, Andrea Moniz-DeSouza, Ângelo Garcia, Batista Vieira, Conceição Flores, Diniz Borges, Duarte Miranda, Dulce Maria Scott e Durval Terceira, bem como Eduardo Borba da Silva, Francisco Cota Fagundes, Francisco Resendes, Frank Souza, Idalina Gonçalves, Irene Blayer e Isidro Menezes.
O livro inclui igualmente entrevistas com Jácome Armas, João de Brito, João Luís Pacheco, John Correia, Jorge Ferreira, José António Morais, D. José Avelino Bettencourt, José Carlos Teixeira, José Francisco Costa, Luís Mesquita de Melo e Luís Miranda, além de Manuel Bettencourt, Manuel de Medeiros, Manuel Eduardo Vieira, Manuela Bairos, Marc Dennis, Márcia Sousa da Ponte, Maria Hortência Silveira, Maria João Dodman, Maria Lawton, Mário Silva e Mary Alsheikh.
Nellie Pedro, Nuno Moniz, Onésimo Teotónio Almeida, Paulo Jorge Cabral, Renata Rodrigues e Richard Machado são outras personalidades entrevistadas neste livro, a par de Sara Freitas, Tiago Domingues, Tony Cabral, Tony Goulart e Victor Santos.
Os 50 entrevistados reunidos neste livro nasceram em Santa Maria (1), São Miguel (23), Terceira (10), Graciosa (1), São Jorge (4), Pico (5), Faial (4), Flores (1) e Corvo (1) e vivem nos Estados Unidos da América (28), no Canadá (10), no Brasil (4) e na Bermuda (1), mas também na Arábia Saudita (1), nos Camarões (1), na Costa do Marfim (1), na Dinamarca (1), na Noruega (1), em Timor-Leste (1) e no Vietname (1).
São 35 homens e 15 mulheres, entre os 32 e os 86 anos de idade, que se notabilizaram na Educação (13), na Economia (9), na Política (8), na Cultura (8), no Social (8) ou na Diplomacia (4) dos seus países de acolhimento, “mantendo sempre os seus Açores na saudade do seu coração”.
As “Conversas da Diáspora” são uma iniciativa da Direção Regional das Comunidades do Governo dos Açores, que promoveu esta série de entrevistas biográficas, através das redes sociais, em todas as semanas de 2023. O interesse das entrevistas e a representatividade dos entrevistados merecem agora o registo público e perene desta coletânea editada pela Letras Lavadas.
facebook twitter instagram youtube 
Logo-Letras-Lavadas